Skip to content

Testemunho do Arnaldo Lopes

 

Normalmente, não é meu hábito andar tão distraído, a ponto de deixar de me aperceber do que se vai desenrolando em meu redor.

Assim, REJUBILO, ALEGRO-ME, SINTO TRISTEZA, AMARGURA, COMPAIXÃO, conforme me é dado ver, sentir, viver, o desenrolar da vida, das vidas dos meus semelhantes.Aí sinto que, naturalmente, não posso continuar instalado, tenho que ir à luta e deixar crescer em mim a vontade de  ANALISAR e COMPREENDER o PROBLEMA, tentando ver quando e como poderei ser útil.

Um dia, mesmo na transição do Ano de 2006 para 2007, tive que recorrer às URGÊNCIAS do então HOSPITAL DE SANTA MARIA em FARO, pois a ALICE (minha esposa), não se sentia bem.

Sendo ela um dos elementos que compunha a EQUIPA de Funcionárias AUXILIARES DA ACÇÃO MÉDICA do HOSPITAL DISTRITAL DE FARO, estava, ela, naturalmente desperta para situações de saúde anómalas e merecedoras de atenção imediata.

Prontamente atendida e após feitas as primeiras análises fomos, com carácter urgente ,encaminhados para TAVIRA, por ser necessário complementar em pormenor o que já tinha sido diagnosticado em FARO (Cancro na Cabeça do Pâncreas).

A pedido da ALICE, feito directamente à Médica que a observou em Tavira, foi-lhe sendo dada toda a informação sobre o seu estado clínico.

Num guardanapo que ainda guardo, escreveu:

“HOJE, caiu sobre mim UMA BOMBA…” Que DEUS me ajude.

FAMÍLIA REUNIDA de imediato para se analisar e decidir posturas futuras de atuação.

A Mami ALICE, muito serena, pediu: Porque sei o que tenho, gostaria que me mantivessem em casa, acionando os mecanismos existentes de SERVIÇOS CONTINUADOS

e assim aconteceu.

Pedi para mim à Portway, a empregadora, uma licença sem vencimento para apoio urgente Familiar que me foi prontamente concedido.,

Criou-se um clima sereno familiar, pleno de amor, carinho e atenções redubradas, que funcionou maravilhosamente.,

E tivemos SEMPRE, a ajuda PRECIOSA E ACONCHEGANTE da MARAVILHOSA EQUIPA DOS SERVIÇOS CONTINUADOS DA ARS DE FARO que,

faziam tudo o que não nos era permitido fazer e nos deram formação para executarmos tarefas várias, necessárias ao bem estar, controlo e conforto

(relativos e possíveis, claro), da nossa Mami. UM MUITÍSSIMO OBRIGADO MEUS QUERIDOS ANJOS DA GUARDA DOS SERVIÇOS CONTINUADOS DA ARS-FARO.

Chegámos, entretanto, a ir a LISBOA(HOSPITAL CURRY CABRAL)para uma cirurgia que aconteceu e que foi absolutamente clara e conclusiva “Doente oncológico em fase terminal”Lembro-me ter visto à nossa espera aquando da chegada da ambulância, o Sr. DOUTOR GRAÇA MIRA e outros elementos da sua Equipa – MUITÍSSIMO OBRIGADO POR TODO O CARINHO E ATENÇÕES que nos prestaram.

A 18/7/2007, seis meses após o início do processo, na Vila Alice em Faro nossa casa de Família, a nossa QUERIDÍSSIMA MAMI ALICE, partiu para o SENHOR.

Volvidos intermináveis treze anos e quase quatro meses da sua passagem, julgo saber que está bem, porque JUNTO DO SENHOR.

Eu não voltei ao trabalho no Aeroporto mas, apesar dos meus 74 anos, mantenho-me activo em áreas que sei serem necessárias e úteis (sempre ligado à PARÓQUIA DE S.LUÍS EM FARO, à CAPELANIA DO HOSPITAL DISTRITAL DE FARO, ao VOLUNTARIADO

Celibatário por opção, aprendi entretanto a conviver com a solidão e sinto-me espiritual e fisicamente equilibrado.

Entretanto vivo para a minha mui-querida e numerosa Família nuclear, 5 filhas, genros e 14 netos que muito amo e também para a Família Humana Alargada onde, no seu seio, há sempre o que fazer em prol do seu bem estar.